Surpresas.

A vida tem um tom cômico se não fosse tao irônico.
Nos prega peças, nos prega de surpreso nos pega desapercebidos.
Quando não se espera ela te oferece o que se tem de melhor.
Eu não saberia explicar, ou passaria a vida tentando descrever.
São tantos sentimentos adversos e ate mesmo perversos.

Só por diversão ela te joga no chão te faz confusão,
Mas cada adversidade é um presente da vida para crescer,
Depois de tantas dores ou aprende a racionalizar ou viver de ilusão;
Vai aprendendo a se valorizar, e as desilusões não mata é para fortalecer.

Mas entre tantos desamores, solidão e feridas existe sempre um começo.
O medo é latente, a vida dura, e a felicidade desconheço,
Mas a vida presenteia  quem coragem e é valente,
Tudo é difícil e grande são os obstáculos mas ajuda na estrutura,
Apenas os valente encontra o real sentido da vida e da alegria.

Hoje me surpreendo com você, tão irreverente mas presente,
Esqueço o choro e lembro dos risos, parece incoerente,
Mas o sol vem para todos, um dia a vida te surpreende,
E afinal surpresas são boas, atraente e tão inteligentes.
Isso não é algo isolado mas se torna pessoal entre a gente.

Hóspede.

Inocentemente se achegou e pediu para pousar,
Não fez promessas, não seduziu apenas disse que sabia amar,
Sem olhares altivos dono de um coração valente,
Passivo em um vida errante, simples mais tão elegante.

Se convém pousar? Não lhe dei garantias apenas duvidas,
As lacunas das vida são para ser desvendas,
Era arriscado mas queria viver intensamente,
Minha tolice, meu engano, acreditei infelizmente.

Me impressionou com um mundo novo, com inverdades,
Sua estadia virou morada, e suas verdades em agressividades,
Pensei que eras diferente, alguém com mútuas qualidades,
Me fez acreditar até amar, e traiu com suas atrocidades.

Feriu minha alma, destruiu meus sonhos e partiu,
Não se importou, machucou  e sumiu,
Eu tinha sentimento e você intenções,
Eu abri as emoções e descobri as traições.
Eu amei de coração, você levou tudo, deixou só ilusões.

 

Você.

Sentimentos são como labirintos,
Sabemos seu inicio mas não se sabe exatamente o fim,
Ao  conhece-lo pensei ser irrelevante como alguém comum,
Os dias entorpes e sombrios aos poucos se iluminaram.

Nada era tão esperado como teus abraços,
Mais singelos que o teu sorrir,
Teus olhos marcados pelas chamas do amor,
Eu e você eternos palhaços…
Tudo parecia simplesmente fluir,
Tu fazia sumir qualquer temor…

Mas pior foi a ilusão,
Pensei, não vou sentir,
Esta saudade passageira ou a dor.
Mas vê-lo partir foi a maior desilusão..
Fechei os olhos e deixei simplesmente ir,
A saudade tomou por completo e a dor maior que o amor.

Sem rumo estou em meu próprio labirinto sombrio.
Acreditei na paixão e fiquei em opróbrio,
Estou sem chão e completo desiquilíbrio,
Queria arrancar o amor, pois agora me resta só o opóbrio.

Posso mentir e até negar muita coisa em mim.
Mas não posso esconder o amor assim,
Não sou tão clara como devia ou objetiva como queria,
Me perdoa se perdi a compostura, e a minha total estéria,
Jamais vou esquecer você, que se tornou a razão da minha alegria..

 

Caminho..

Eu já vaguei por vários, já refiz inúmeros,
Alguns foram longos ate os pés e a cabeça enlouquecer.
Uma matança simultânea, a cabeça queria esvaziar e os pés parar.
Mas enquanto existir uma culpa, dor, tristeza não se encerra.

Perdi as vezes que chorei, busquei os maiores penhascos,
Mas pular exige coragem e concordar com a maioria,
Mas a indagação dentro de mim,sempre dizia não é o fim.
Posso ser imperfeita, louca, insensata mas jamais comum.

E o caminho não tinha O Fim…
Quantos se inicia conosco a caminhada? E quantos continuaram?
Filtrar o que agrega, e desfazer de imediato o que feri.
Muito se tem, mas mais ainda se perde, tudo é uma questão de escolha.

Por enquanto vou refazendo a bolsa, juntando o que quero e faz bem.
Desfazendo do que excede, apenas acarreta peso.
Afinal a caminha é longa, e tem que ser leve.
O tempo voa, quero correr com ele, a vida é breve.

 

 

 

Tuas Obsidiana.

Vi em seus olhos negros um abismo,
Tão sedutor, singelo e assustador,
Eu sabia exatamente onde ir, mas você me tragou,
No profundo e lindo negro me transtornou.

Eu diria que como imã nos atraímos,
Mas seriamos oposto?
Ah!! mas tenho certeza você me enfeitiçou.
Não foi culpa sua mas das tuas duas Obsidiana…

Eu poderia ser tudo, mas agora sou um nada.
Perdi minha bússola, perdi você, me perdi..
Ha um vazio inexplicável, mas uma saudade palpável.
Fecho meus olhos e vejo apenas ati, serás que lembras de mim.

Teus olhos em mim, era com um manto, minha proteção.
Neles eu ia longe, sem tirar os pés do chão.
Meu porto seguro em tempos tempestivos,
Quando eles deixaram de me ver, não sei
Já não o vejo como quero, mas o sinto como não pensava sentir.

Pesadelo

Se acordares durante a noite, ofegante sei que vais olhar para o lado,
La estará um alguém que seu coração conhece, alma desconhece, atordoado
Lembranças loucamente se misturam, insano, presente e passado,
Vai abraçar o distante, desejar o inexistente e chorar amargurado.

Tantos aromas mas nenhum é igual ao teu,
Prometi  ficar para sempre, mas não deu,
Mas me perdi, te perdi, caiu meu chão, meu céu,
Quantos risos ouvirei, e ainda assim procurarei o seu.

Insanamente vou tentando te esquecer, mas me perco em cada tentativa,
Vou seguindo mas me perdendo em cada esquina, foi a minha iniciativa,
Não queria que o tempo passasse e apenas vivesse de sonhos, não sou criativa.
A vida, brinca tanto conosco, que chega a dar raiva.

Chamo de pesadelos, todas as noites em claros,pensando em ti,
Mas desejo que ele acabe para nós, talvez acabe por aqui,
Sei que foi incrivelmente inesquecível, dizer adeus corroí.
Espero que tenhamos segunda chance, igual ou melhor como sempre imaginei.
Não quero pesadelos, quero amor, felicidade, quero prossegui.

 

(Imagem do filme, Paixão sem limites….)

Amor, um minuto.

Oi, amor, um minuto apenas, vou  tentar explicar,
Sabe aquela nossa estoria, aquela eu e você, e eu sempre a me distanciar,
Acontece que tem alguém em seu lugar, confuso, difícil acreditar,
Mas acontece que vou me iludindo, brincando de gostar.

Vou ser franco, estou perdido, confuso, estranho, tentando me enganar,
Ela mora la e eu aqui, e imagina quem eu nunca deixo de pensar,
Na memoria, nossas lembranças latentes, como não lembrar,
Como apagar, seu jeito sereno de sorrir e me encantar,
Em um segundo, eu via o mundo todo e me perdia em seu olhar.
Ei amor, já tentei, mas para sempre vou te amar.

Ha minha menina, certas coisas não mudam, por mais que tente,
Meus receios, seus beijos, meus medos, seus carinhos e eu incoerente,
Busquei tantas desculpas para fugir, para escapar, fui fraco literalmente.
No calabouço da alma escondo o que sinto, me sinto impotente.
Se pudesse ver aqui dentro, veria o feliz mais infeliz, tudo no inconsciente.

Era tantas incertezas, tudo tão confuso, e eu ali perdido,
A unica certeza era o que pulsava e pulsa no coração, esta tudo contido,
Tantos caminhos percorri, mas todos me faz concluir,
Fui e sou um completo idiota, me perdoa , por desistir,
Sempre serás, minha ilustração de mulher perfeita, hoje estou em ruínas,
Posso não ter outra chance, então amor, espera um minuto apenas.

VMP.