Fantasma

Na fragilidade da alma pode se achar dor contante, e um amor de relance,
O gosto amargo de  escolhas imaturas, de amores incompreendidos,
Uma vasta bagagem de dor, lamentos, feridas abertas e muitos aprendizados,
E a caminhada necessária, roupas e coração gastos e banalizados,
Olhar para trás não esta nos planos, e o mais sábio é bater a poeira e partir,

Há uma constante  certeza que para sempre vais me assombrar,
Te dei meu coração, e ganhei noites de insônia, solidão,
Uso a razão para compreender o incompreendido e quem sabe me libertar,
Cegamente não vi suas intenções, apenas me entreguei a paixão.
Mas em meio a insanidade a luz, a esperanças…

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s